Pra ouvir: Banks – Música boa

O Lucas me apresentou a Banks ano passado, ainda. Era uma época em que todo dia ele me mandava uma música diferente pra eu ouvir (melhor migo <3) no trabalho, e ele me falou dela.

Não lembro porque, mas na época eu ouvi, mas não me prendeu. Acho que era o momento da vida, tenho muito isso, de encontrar cantores novos que signifiquem algo pra mim naquele momento, seja pelas letras, seja pelo ritmo, a voz…

Às vezes nem me identifico com as letras, mas o ritmo me faz bem, sabe assim?

Corta pra esse ano e eu ouvi uma música dela em alguma playlist do Spotify e gostei muito. Salvei o CD, mas, de novo, não dei muita bola. Até um mês atrás, quando tava enjoada do que tava ouvindo e dei outra chance… e agora estou viciada.

Pra ouvir: Banks – Música boa

Ela tem uma voz linda, um timbre bem sexy (pode tocar quando for levar o gatinho pra passar a noite em casa, viu), as letras são incríveis -ela mesma compõe-, mas são meio melancólicas, meio coração partido, uma vibe meio “eu me apaixonei pela pessoa errada” misturada com “eu não sei amar outras pessoas, nasci pra ser sozinha”. Na real têm umas músicas bem tensas, sobre relacionamento abusivo e coisas assim, que me faz pensar que ela já passou por coisas horríveis, e é preciso muita coragem pra expor desse jeito e muita força (e talento) pra transformar memórias ruins em músicas lindas. Na Teen Vogue ela falou que as músicas são como “um machucado que é gostoso”.

Ela tem 27 anos, nasceu Jillian Rose Banks (mas usa só Banks porque “É curto e poderoso, e isso é o que eu quero que minha música seja”) em Los Angeles, e tem um CD lançado até agora -e dois EPs-, o “Goddess“, mas já apareceu em um monte de listas do tipo “Artista pra ficar de olho”, não curte muito redes sociais, mas é amiga da Lily Collins, que usou seus contatos de Hollywood pra fazer o nome da Banks chegar a gente importante, que poderia fazê-la se tornar conhecida entre as gravadoras, porque até então ela só divulgava suas músicas no Soundcloud, e foi o que aconteceu.

Ela abriu os shows do The Weeknd, e fez tanto sucesso que pode lançar sua própria turnê solo, e “Waiting Game“, uma das minhas preferidas, foi tema de um comercial da Victoria’s Secret, além de ser trilha sonora de “Divergente”  e aparecer em um episódio de “Grey’s Anatomy” – “You Should Know Where I’m Coming From” e “Goddess” também tocaram em “Grey’s Anatomy”.

Fiz uma playlist com as que mais gosto de ouvir, mas tem o cd completo no Spotify, provavelmente no Deezer, e no iTunes, também! Chama “Goddess”! A “Beggin for Thread” foi a primeira que me fisgou, e acho que é a mais fácil de gostar, também. Fico fácil dançando essa música sozinha no quarto -e tá na minha playlist da academia- é a minha preferida, fácil, junto com “Waiting Game“. Outras que tô amando são “Brain“, “You Should Know Where I’m Coming From”, Goddess” e “Under the Table“. Ai, mas gosto de todas da playlist, juro. Escutem aqui embaixo e me contem 😉

Cês já conheciam? Gostaram? Me contem 🙂

Bisous!