Obter gratuitamente serviços profissionais com crowdsourcing

Segunda-feira passada o Twitter lançou o Centro de Traduções numa clara tentativa de tornar o serviço “amigável” para todas as línguas (inclua o português). O assunto era serviços profissionais com crowdsourcing.

O Centro convida os usuários do microblog (alguém ainda usa essa palavra?) a ajudar na tradução do site num processo chamado de… crowdsourcing. Usar crowdsourcing para tradução não é uma novidade e o Twitter não é pai da ideia. O Facebook mesmo usou a multidão para traduzir sua plataforma e obteve resultados, no mínimo, curiosos. Mas a repercussão causada pelos dois serviços serviu para abrir uma questão: até que ponto as empresas podem usar gratuitamente serviços profissionais?

Serviços profissionais com crowdsourcing

Primeira coisa que quero deixar claro: crowdsourcing não serve apenas para traduções. Crowdsourcing é muito maior do que isso. Você pode ter uma ideia lendo esta crítica em relação a compras coletivas. O apetite e a perícia da multidão tem sido aproveitada para emanar muitos outros grandes recursos. Voluntários, tanto especialistas ou não-qualificados, do mundo inteiro, doaram milhares de horas de serviço para escrever mais de 17 milhões de artigos em dezenas de idiomas para criar a Wikipedia. Mais de 100 mil voluntários indexaram mais de 500 milhões de arquivos em 11 línguas no FamilySearch.org. Desenvolvedores de software do mundo inteiro ajudam para na construção do Linux.

No entanto, nem tudo são rosas e margaridas. O programa de tradução do Facebook criou alguns mal-estares na Turquia, quando um grupo organizado resolveu inserir alguns palavrões nas traduções que foram aprovadas. Mesmo a Wikipedia sofre com tradutores mal intencionados. “Você não pode estar certo de que terá apenas especialistas ou que terá apenas mal intencionados. Crowdsourcing é um saco agitado de colaboradores” escreveu o veterano em traduções Michael Cox. “O contraponto é que com a tecnologia correta e de supervisão, você pode produzir um produto de alta qualidade através da multidão, em muitos aspectos, melhor do que qualquer subconjunto de pessoas poderia criar.”

Isso significa que sua empresa pode se apossar dos serviços profissionais de voluntários apenas por estender a mão convidando-o? Talvez. A melhor forma é incentivar a multidão, seja financeiramente ou engajando-a em uma causa. Mas isso é assunto para os próximos posts.